A aposta de Pascal

A aposta de Pascal

Balise Pascal foi um dos maiores sábios de sempre. Foi também um dos pioneiros do estudo das probabilidades e do conceito de “esperança matemática”. No entanto, também deu a sua contribuição para a Física e Filosofia.

Era um homem de saúde frágil, e aos 31 anos abandonou o estudo da matemática e da física, vendeu tudo, deu o dinheiro aos pobres e entrou para um convento onde se dedicou aos estudos teológicos.

É nessa altura que cria o que hoje e conhecido como a “Aposta de Pascal”, uma teoria que defende que uma mente racional deve pautar a sua existência como se Deus existisse.

O seu argumento é essencialmente baseado no conceito da “esperança matemática”. Ele argumentava assim: Vamos supor que não sabemos se Deus existe. A probabilidade é de 50% de ele existir ou não.

Se Deus existe, o ganho é infinito (em pautar a sua existência como se ele existisse) pois acede-se assim à felicidade e vida eterna.

Se não existe, o ganho de uma vida despreocupada e desregrada é finito (acaba quando morremos).

Então a fórmula é:

∞x1/2-100×1/2=∞

Ou seja, o resultado é ainda infinito, por isso a “aposta de Pascal” (de se ter dedicado à vida religiosa) foi racionalmente correta.