As mulheres estão desperdiçando seu dinheiro em tratamentos de fertilidade caros quando o problema real pode estar no homem, alerta especialista

As mulheres estão desperdiçando o seu dinheiro em tratamentos de fertilidade caros quando o problema real pode estar no homem, alerta especialista – com os números mostrando que a infertilidade masculina mais que DOBROU numa década

– As questões masculinas são agora a única causa, ou um fator contribuinte, em 50% dos casos
– Contudo, muitas vezes, as mulheres presumem que têm o problema e se apressam em tratamentos
– Os serviços de fertilidade para homens deixaram-se atrasar significativamente em relação ao serviço para mulheres, no Reino Unido
– A Dra. Catherine Hood está pedindo uma revisão urgente dos tratamentos de infertilidade masculina

As mulheres estão optando por um tratamento de fertilidade caro e invasivo quando podem ser seus maridos ou parceiros os culpados, advertiu uma especialista.

Relatórios recentes revelaram que a contagem de esperma em homens em todo o mundo diminui para metade nos últimos 50 anos.

Um em cada sete casais tem dificuldade em conceber, de acordo com o NHS (Serviço Nacional de Saúde Inglês).

A má qualidade do sémen é agora a única causa ou um fator contribuinte em 50 por cento dos casos, de acordo com pesquisas na revista Reproductive Biology and Endocrinology (Biologia Reprodutiva e Endocrinologia).

No entanto, muitas vezes é a mulher que assume que é a única com um problema de infertilidade e corre para o tratamento – um ciclo de tratamento FIV (fertilização in vitro) num clínica privada pode custar até £ 5,000 ou mais.

A Dra. Catherine Hood, consultora da Harley Street em medicina psicosexual, disse: “Muitas vezes, as mulheres se culparam se não engravidaram e ignoram o facto de que é cada vez mais provável que o problema resida no parceiro”.

Além disso, os especialistas alertam que os serviços de fertilidade para os homens estão muito atrasados em relação ao das mulheres, no Reino Unido.

Menos de 5 por cento das clínicas de fertilidade do Reino Unido possuem acreditação confirmando que estão de acordo com as diretrizes da Organização Mundial de Saúde sobre análises de sémen, de acordo com Dra. Hood.

“Na minha opinião, muitos casais estão considerando a fertilização in vitro antes de explorarem terapias mais simples e muito menos dispendiosas, que abordam má contagem de esperma, por exemplo”, acrescentou.

Solicitação de melhores tratamentos para homens

Na pesquisa a ser apresentada no London Fertility Show, Dra. Hood pedirá uma revisão urgente das diretrizes de tratamento para enfrentar esse aumento na infertilidade masculina e alertar os casais para a eficácia de alternativas de baixo custo para FIV focada nas mulheres.

Ela acredita que alguns casais poderiam economizar milhares de libras explorando tratamentos de infertilidade menos invasivos, como a inseminação intracervical (ICI) – o uso de uma gola cervical para manter o espermatozóide próximo ao colo do útero e a inseminação intra-uterina (IUI) antes de recorrer à FIV.

Dra. Hood disse: “Em testes clínicos, ICI tem uma taxa de sucesso de cerca de 20 por cento e pode ser realizada em um ambiente familiar, o que é muito menos estressante do que atender a um hospital ou clínica de fertilidade.
“Isso é importante porque sabemos que as mulheres que estão estressadas têm menos probabilidades de conceber”.

(fonte: Daily Mail)