Quantos habitantes tem a Lousã?

Qual é a população da Lousã?

A Vila da Lousã faz pare no distrito de Coimbra, e tem, de acordo com os censos de 2011, 17 604 habitantes.

A wikipédia acentua que a Lousã se situa-se na zona de transição entre as duas dinâmicas de desenvolvimento que demarcam a sub-região: de um lado, as terras mais «urbanas», mais próximas da capital regional; do outro, as mais afastadas, com carácter mais «rural». De entre os concelhos da sub-região com variação demográfica positiva, a Lousã é o que possui a mais elevada (18%), superior aos valores médios da região (3,4%) e do país (4,6%).

O município desta vila tem 139,16 km² de área, subdividido em 6 freguesias e limitado a norte pelo município de Vila Nova de Poiares, a leste pelo de Góis, a sueste pelo de Castanheira de Pera, a sul pelo de Figueiró dos Vinhos e a oeste pelo de Miranda do Corvo.

Localizado no sector central de Portugal, o Município da Lousã é um dos Municípios do Distrito de Coimbra que integra a sub-região do Pinhal Interior Norte (NUTIII), mais propriamente a Região Centro (NUTII), apresentando-se delimitado a Norte pelo Município de Vila Nova de Poiares, a Este pelo Município de Góis, a Oeste pelo Município de Miranda do Corvo e a Sul pelos Municípios de Castanheira de Pêra e de Figueiró dos Vinhos, estes já administrativamente integrados no Distrito de Leiria.

Com uma área de 138,4 km2 (florestal – 58,6%; Agrícola – 17,2%; Incultos – 22,1%; Social – 2%; Águas Interiores – 0,1%), o território municipal subdivide-se administrativamente em seis freguesias – Casal de Ermio, Foz de Arouce, Lousã, Serpins, Vilarinho e Gândaras.

Em termos de bases físicas do território e quando alguém se refere ao Município da Lousã, uma ideia que ressalta de imediato, é o facto de se estar perante um sector de montanha e de grande riqueza natural. Sai assim realçado o facto de os principais traços físicos do Município reflectirem, de uma forma quase directa, as grandes linhas estruturais que definem, desde há muito, a morfologia do seu território, e que influenciaram a própria ocupação humana na região, ao longo dos últimos séculos.

As alterações demográficas e económicas devem ser entendidas num quadro mais vasto de relacionamento deste Município com outros territórios próximos, nomeadamente Coimbra, uma vez que, desde há muito tempo, beneficia de uma posição estratégica associada à Estrada Nacional 17, conhecida como Estrada da Beira, que funciona como via preferencial de ligação entre o Município e Coimbra Guarda. Por outro lado, esta evolução também deve ser entendida num quadro da proximidade aos principais aglomerados urbanos das Sub-regiões do Baixo Mondego – Coimbra e Figueira da Foz – e do Pinhal Litoral – Pombal e Leiria.

As relações funcionais que se observam entre os diversos Municípios deste território e, em especial, com Coimbra, ajudam assim a compreender a evolução demográfica (crescimento de 10%) e económica recente do Município, tal como mostram os dados do recenseamento da população relativos a 2011 e os dados referentes às actividades económicas. Efectivamente, predominam as actividades relacionadas com os sectores terciário e secundário, que são mesmo mais expressivas por comparação aos valores do Continente.

Assim, constatando-se uma diminuição de importância das actividades agrícolas associadas maioritariamente ao auto-consumo, contudo o Concelho tem forte expressão na actividade viveirista. Salientam-se como actividades responsáveis pela dinâmica económica, as actividades secundárias, nomeadamente a transformação de papel, os componentes eléctricos, o azeite e os vinhos e licores. No que respeita às actividades terciárias, destacam-se particularmente os serviços e o comércio.

O turismo tem um papel importante no desenvolvimento do Município com um forte fluxo de visitantes, com a Serra da Lousã e as Aldeias de Xisto a evidenciarem destaque.

O código postal é o 3200 e os habitantes designam-se Lousanenses.